02OUT

1º Oficina de Submissão de Artigos da Pará Research Medical Journal

Na oficina, os candidatos a submissão de artigos receberam informações de como evitar erros que tem sido comuns no momento da submissão desde falhas na redação do artigo, omissão de documentos obrigatórios, até a aprovação no comitê de ética, já que as pesquisas envolvem seres humanos”, esclareceu o Editor Chefe

http://www.santacasa.pa.gov.br/ensino/noticias/detalhe/?id=539

Pará Research Medical Journal
https://prmjournal.org/article/doi/10.4322/prmj.2019.029
Pará Research Medical Journal
Artigo de Pesquisa Clinica Médica

Perfil epidemiológico da Doença de Chagas aguda no Pará entre 2010 e 2017

Epidemiological profile of acute Chagas Disease in the State of Pará between 2010 and 2017

Giovanna Gomes e Silva, Gabriele Barros de Aviz, Ronaldo Costa Monteiro

Downloads: 1
Views: 575

Resumo

Objetivo: Descrever o perfil epidemiológico da Doença de Chagas Aguda (DCA) no Estado Pará entre os anos 2010 e 2017. Método: Foram coletados dados dos casos de DCA confirmados no Estado do Pará, entre 2010 e 2017, notificados no Sistema de Informações e Agravos de Notificações (SINAN). Resultados: Foram notificados 1.515 casos confirmados de DCA, com predominância da doença entre homens, com idade entre 20-39 anos. Do total, 75,84% tiveram como modo provável de infecção a transmissão oral. Na evolução da doença 88,77% continuaram vivos. Nota-se uma grande incidência de DCA nos últimos anos, apesar da fase aguda da doença geralmente passar despercebida, fato que leva a subnotificação da doença. Conclusão: O perfil epidemiológico da área estudada é um indivíduo adulto, do sexo masculino. O conhecimento do perfil epidemiológico é importante para gerar informações para criação de medidas para prevenir a doença e aumentar o diagnóstico precoce

Palavras-chave

Doença de Chagas; epidemiologia; perfil de saúde; Trypanosoma cruzi.

Abstract

Purpose: To describe the epidemiological profile of Acute Chagas’ Disease (ACD) in the State of Pará between 2010 and 2017. Methods: Data from confirmed cases of ACD in the State of Pará between 2010 and 2017, reported in the Information System and Notification Improvements were collected. Results: There were 1,515 confirmed cases of ACD, with a predominance of the disease among men, aged 20-39 years. Of the total, 75.84% had oral infection as the probable mode of infection. In the evolution of the disease, 88.77% were still alive. A high incidence of ACD has been observed in recent years, although the acute phase of the disease usually goes unnoticed, a fact that leads to underreporting of the disease. Conclusion: The epidemiological profile of the studied area is an adult male. Knowledge of the epidemiological profile is important to generate information to create measures to prevent disease and increase early diagnosis.

Keywords

Chagas Disease; epidemiology; health profile; Trypanosoma cruzi.

Referências

1. Vargas A, Malta JMAS, Costa VM, Cláudio LDG, Alves RV, Cordeiro GS, et al. Investigação de surto de doença de Chagas aguda na região ExtraAmazônica, Rio Grande do Norte, Brasil, 2016. Cad Saude Publica. 2018;34(1):e00006517. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00006517. PMid:29412311.

2. Pinto AYN, Farias JR, Marçal AS, Galúcio AL, Costi RR, Valente VC, et al. Doença de Chagas aguda grave autóctone da Amazônia brasileira. Revista Para Med. 2007 abr-jun;21(2):7-12.

3. Dias JCP, Coura JR. Clínica e terapêutica da doença de Chagas: uma abordagem prática para o clínico geral. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; 1997. 486 p. http://dx.doi.org/10.7476/9788575412435.

4. Dias JCP, Ramos Jr NA, Gontijo ED, Luquetti A, Shikanai-Yasuda MA, Coura JR et al. II Consenso Brasileiro em Doença de Chagas, 2015. Epidemiol Serv Saúde. 2016;25(No. Esp.):7-86.

5. Brasil. Ministério da Saúde. Doença de Chagas: situação epidemiológica atual. Brasília: Secretaria de Vigilância em Saúde; 2010 [citado em 2019 mar 9]. Disponível em: http://www.fiocruz.br/pidc/media/Doenca%20de%20Chagas%202010.pdf

6. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Doença de Chagas aguda no Brasil: série histórica de 2000 a 2013. Boletim Epidemiológico. 2015;46(21):1-9.

7. Pereira CML, Azevedo AP, Marinho SSB, Prince KA, Gonçalvez JTT, Costa MR et al. Perfil clínico e epidemiológico da Doença de Chagas Aguda no estado de Minas Gerais. Rev Aten Saúde. 15(52):49-54, abr./jun. 2017. http://dx.doi.org/10.13037/ras.vol15n52.4523.

8. Cardozo EJS, Cavalcanti MAF, Barreto MAF, Nascimento EGC. Perfil epidemiológico dos portadores de doença de chagas: dos indicadores de risco ao processo de enfrentamento da doença. Arq Ciências Saúde. 2017 mar;24(1):41-6. http://dx.doi.org/10.17696/2318-3691.24.1.2017.545.

9. Bozelli CE, Araújo SM, Guilherme ALG, Gomes ML. Perfil clínico-epidemiológico de pacientes com doença de Chagas no Hospital Universitário de Maringá, Paraná, Brasil. Cad Saúde Pública. 2006 maio;22(5):1027-34.

10. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estatísticas sociais. Rio de Janeiro: Diretoria de pesquisa/IBGE; 2019.

5e2732b80e8825e55b26b9f9 prmjournal Articles
Links & Downloads

PRMJ

Share this page
Page Sections