02OUT

1º Oficina de Submissão de Artigos da Pará Research Medical Journal

Na oficina, os candidatos a submissão de artigos receberam informações de como evitar erros que tem sido comuns no momento da submissão desde falhas na redação do artigo, omissão de documentos obrigatórios, até a aprovação no comitê de ética, já que as pesquisas envolvem seres humanos”, esclareceu o Editor Chefe

http://www.santacasa.pa.gov.br/ensino/noticias/detalhe/?id=539

Pará Research Medical Journal
https://prmjournal.org/article/doi/10.4322/prmj.2019.025
Pará Research Medical Journal
Artigo Original Outros

Consumo de açaí e perfil nutricional em universitários da área da saúde de Belém-PA

Açaí consumption and nutritional profile in college of health of Belém-PA

Jéssica Thuanny Teixeira Barreto, Vanessa Vieira Loureço-Costa, Edson Marcos Leal Soares Ramos, Waléria do Socorro de Oliveira Ainett, Naíza Nayla Bandeira de Sá, Marília de Souza Araújo

Downloads: 2
Views: 344

Resumo

Objetivo: Descrever a frequência do consumo de açaí e o estado nutricional dos universitários da área da saúde em Belém, Pará. Método: Trata-se de um estudo transversal, quantitativo, descritivo, com amostra por conveniência do tipo correlacional com 253 acadêmicos de diversos cursos da área da saúde, devidamente matriculados numa universidade pública do Pará, campus Belém. Este estudo foi realizado com base no banco de dados do projeto de uma pesquisa maior e submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos do Instituto de Ciências da Saúde da instituição, sob número de protocolo 1.389.197 e Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) online. Para a análise dos dados, utilizou-se o software STATA versão 12.0 e Microsoft Office Excel 2013. Resultados: A maioria dos estudantes estavam eutróficos (68,77%), no entanto, grande parte dos acadêmicos eram sedentários (50,98%). A maioria dos universitários que consumiam o açaí acrescentava açúcar, farinha de mandioca e/ou tapioca (54,55%). Os que consumiam o fruto sem açúcar, apenas com farinha de mandioca e/ou tapioca (26,48%), também estavam eutróficos (21,74%), sendo a frequência desses consumos até duas vezes no mês. Observou-se também um estado de eutrofia nos que consumiam acompanhamentos salgados (35,57%). Conclusão: A frequência do consumo de açaí pela maioria dos universitários era rara ou até duas vezes no mês e o estado nutricional dos acadêmicos prevalente foi de eutrofia, apesar dos acompanhamentos não serem os mais indicados.

Palavras-chave

euterpe; estado nutricional; estudantes de ciências da saúde; alimentação; consumo de alimentos

Abstract

Purpose: To describe the frequency of açaí consumption and the nutritional status of university students in the health sphere in Belém, Pará. Method: This work deals with a cross-sectional, quantitative, descriptive study, with a correlational convenience sample with 253 college students from several courses in the health sphere, enrolled at a public university in Pará, Belém Campus. This study was performed based on the database of the project of a larger research and submitted to the Ethics Committee in Research with Human Beings of the Institution’s health, of the institution under protocol number 1,389,197 and Free Informed Terms Consent online. For data analysis, the software STATA version 12.0 and Microsoft Office Excel 2013 were used. Results: Most students were eutrophic (68.77%), however, most students were sedentary (50.98%). Most of the university students who consumed açaí added sugar, manioc flour and/or tapioca (54.55%). Those who consumed the fruit without sugar, with only cassava flour and/or tapioca (26.48%), were eutrophic as well (21.74%), with the frequency of these consumptions up to twice a month. It was observed that there was also a state of eutrophy in those who consumed salty side dishes (35.57%). Conclusion: The frequency of consumption of açaí by the majority of university students was rare or even twice a month and the nutritional status of the students was mostly in eutrophy, although the side dishes are not the most suitable

Keywords

euterpe; nutritional status; health science students; food; food consumption.

Referências

1. Cedrim PCAS, Barros EMA, Nascimento TG. Propriedades antioxidantes do açaí (Euterpe oleracea) na síndrome metabólica. Braz J Food Technol. 2018;21(0). http://dx.doi.org/10.1590/1981-6723.09217.

2. Yamaguchi KK, Pereira LF, Lamarão CV, Lima ES, Veiga-Junior VF. Amazon acai: chemistry and biological activities: a review. Food Chem. 2015;179:137-51. http://dx.doi.org/10.1016/j.foodchem.2015.01.055. PMid:25722148.

3. Darnet S, Serra JL, Rodrigues AMC, Silva LHM. A high-performance liquid chromatography method to measure tocopherols in assai pulp (Euterpe oleracea). Food Res Int. 2011;44(7):2107-11. http://dx.doi.org/10.1016/j.foodres.2010.12.039.

4. Mareco CA, Simonian LTL. A relação turismo e imagem na gastronomia paraense. Pasos (El Sauzal). 2019;17:159-78. http://dx.doi.org/10.25145/j.pasos.2019.17.011.

5. Santos VFN, Pascoal GB. Aspectos gerais da cultura alimentar paraense. RASBRAN. 2013;5(1):73-80.

6. Borges FQ. Comportamento do consumidor de farinha de mandioca: um estudo de mercado em um município do Pará em 2018. Revista Obs. econ. latinoam. 2019;309.

7. Dias BV. Efeito do consumo da polpa de açaí (Euterpe oleracea Mart.) sobre parâmetros relacionados à resistência insulínica em mulheres com peso normal e excesso de peso [dissertação]. Ouro Preto (MG): Universidade Federal de Ouro Preto; 2017.

8. Lobo ACM, Velasque LFL. Revisão de literatura sobre os efeitos terapêuticos do açaí e sua importância na alimentação. Biosaúde. 2015;18(2):97-106.

9. Da Cruz MDCO, Oselame GB, Dutra DA, Oselame C, Neves EB. Fatores de risco cardiovascular em universitários. RBONE. 2017;11(63):179-86.

10. Strawn LK, Schneider KR, Danyluk MD. Microbial safety of tropical fruits. Crit Rev Food Sci Nutr. 2011;51(2):132-45. http://dx.doi.org/10.1080/10408390903502864. PMid:21328109.

11. Pereira KS, Schmidt FL, Guaraldo AM, Franco RM, Dias VL, Passos LA. Chagas’ disease as a foodborne illness. J Food Prot. 2009;72(2):441-6. http://dx.doi.org/10.4315/0362-028X-72.2.441. PMid:19350996.

12. Dias JCP, Ramos ANJ, Gontijo ED, Luquetti A, Shikanai-Yasuda MA, Coura JR, et al. II Consenso Brasileiro em Doença de Chagas. Epidemiol Serv Saúde. 2016;25:7-86.

13. Rassi JA Jr, Rassi A, Marin-Neto JA. Chagas disease. Lancet. 2010;375(9723):1388-402. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(10)60061-X. PMid:20399979.

14. Bezerra VS, Damasceno LF, Freitas-Silva O, Cabral LMC. Tratamento térmico de frutos de açaí. Macapá: Embrapa Amapá; 2017. (Comunicado Técnico; 151).

15. Pinho CPS, Diniz AS, Arruda IKG, Lira PIC, Cabral PC, Siqueira LAS, et al. Consumo de alimentos protetores e preditores do risco cardiovascular em adultos do estado de Pernambuco. Rev Nutr. 2012;25(3):341-51. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732012000300004.

16. World Health Organization. Obesity: Preventing and managing the global. Geneva: WHO; 1997.

17. Feitosa EPS, Dantas CAO, Andrade-Wartha ERS, Marcellini OS, Mendes-Netto RS. Hábitos alimentares de estudantes de uma universidade pública no nordeste, Brasil. Aliment Nutr. 2010;21(2):225-30.

18. Aquino JK, Pereira P, Reis VMCP. Hábito e consumo alimentar de estudantes do curso de nutrição das faculdades de Montes Claros-Minas Gerais. Revista Multitexto. 2015;3(1):82-8.

19. Telis AP, Pretto ADB, Massaut KB, Andersson GB, Conter L. Perfil e hábitos alimentares de acadêmicos ingressantes do curso de Nutrição de uma Universidade do sul do Brasil. RBONE. 2019;12(75):859-66.

20. Domingues GS, Conter LF, Andersson GB, Pretto ADB. Perfil e práticas alimentares de acadêmicos do curso de Nutrição. RBONE. 2019;13(77):46-53.

21. Moreira NWR, Castro LCV, Conceição LL, Duarte MS. Consumo alimentar, estado nutricional e risco de doença cardiovascular em universitários iniciantes e formandos de um curso de nutrição, viçosa-mg. Rev APS. 2013;16(3):242-49.

22. Busato MA, Pedrolo C, Gallina LS, Rosa L. Ambiente e alimentação saudável: percepções e práticas de estudantes universitários. Semina Ciên Biol Saúde. 2015;36(2):75-84.

23. Nóbrega ECM. História familiar de doenças crônicas, atividade física e hábitos alimentares em estudantes da área da saúde. Rev Bras Prom Saúde. 2014;27(3):333-40. http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2014.p333.

24. Mendes MLM, Silva FR, Messia CMBO, Carvalho PGS, Silva TFA. Hábitos alimentares e atividade física de universitários da área de saúde do município de Petrolina-PE. Temp Ac Saúde Col. 2016;10(2):205-17.

25. Campos L, Isensse DC, Rucker TC, Bottan ER. Condutas de saúde de universitários ingressantes e concluintes de cursos da área da saúde. Rev Bras Pesq Saúde. 2016;18(2):17-25.

26. Pontes TCMCM. Efeito do consumo da polpa de açaí (Euterpe oleracea mart.) sobre as concentrações de adipocinas, medidas antropométricas, de composição corporal, parâmetros bioquímicos, clínicos e dietéticos em mulheres eutróficas e com excesso de peso aparentemente saudáveis [dissertação]. Ouro Preto (MG): Universidade Federal de Ouro Preto; 2015.

27. Souza ACP, Couzzi GM. Conduta nutricional promove alteração do quadro de síndrome metabólica na obesidade. RBONE. 2009;3(13):18-29.

28. Costa AML, Gonçalves NAV, Oliveira FC. Teor de sódio em biscoitos enlatados e embutidos. Rev. Interdiscip. 2013;6(3):152-9.

29. Oliveira AG, Costa MCD, Rocha SMBM. Benefícios funcionais do açaí na prevenção das doenças cardiovasculares. J Amazon Health Scie. 2015;1(1):1-10.


Submetido em:
19/06/2019

Aceito em:
10/12/2019

5f16e5540e88255b6a9517e2 prmjournal Articles
Links & Downloads

PRMJ

Share this page
Page Sections