02OUT

1º Oficina de Submissão de Artigos da Pará Research Medical Journal

Na oficina, os candidatos a submissão de artigos receberam informações de como evitar erros que tem sido comuns no momento da submissão desde falhas na redação do artigo, omissão de documentos obrigatórios, até a aprovação no comitê de ética, já que as pesquisas envolvem seres humanos”, esclareceu o Editor Chefe

http://www.santacasa.pa.gov.br/ensino/noticias/detalhe/?id=539

Pará Research Medical Journal
https://prmjournal.org/article/doi/10.4322/prmj.2019.004
Pará Research Medical Journal
Artigo de Pesquisa

Caracterização da prática do aleitamento materno em uma Unidade Saúde da Família da região metropolitana de Belém, Pará: um estudo piloto

Characterization of the practice of breastfeeding in a family health unit in the metropolitan region of Belém, Pará: a pilot study

Jessica Ferreira Arraes Santos, Juliana Saraiva Gomes, José Márcio Furlaneto Júnior, Ismari Perini Furlaneto

Downloads: 0
Views: 612

Resumo

Objetivo: Caracterizar a prática do aleitamento materno em uma Unidade Saúde da Família (USF) da Região Metropolitana de Belém e identificar o perfil sociodemográfico, epidemiológico e obstétrico de mulheres atendidas pela equipe da USF Tapanã II, assim como os fatores relacionados à prática do aleitamento materno exclusivo (AME) até os seis primeiros meses de vida dos filhos. Método: Trata-se de um estudo piloto do tipo transversal, quantitativo, descritivo e analítico, do qual participaram 31 mulheres voluntárias primíparas ou multíparas em acompanhamento regular na USF. Resultados: As participantes tinham média de idade igual a 30,8 ± 11,2 anos, 48,4% possuíam o Ensino Fundamental, mais da metade declarou-se solteira e ter renda inferior a 1 salário mínimo. A maioria relatou ter recebido orientações a respeito do AME (p=0,0311), sendo que destas, apenas quatro disseram tê-las recebido durante o pré-natal (18,2%), embora 93,6% declararam tê-lo feito (p<0,0001); 58,1% (p=0,3692) dos recém-nascidos receberam AME até os seis meses e 33,3% das mães que praticaram o AME disseram não ter recebido incentivo familiar para amamentar. Conclusão: Sugere-se que o processo de orientação ao AME entre as mulheres incluídas no estudo pode ser melhorado e intensificado, quer seja durante a gestação ou puerpério, podendo refletir uma situação típica da área do estudo. Por esse motivo, reforça-se a importância que o processo contínuo de educação em saúde e orientação têm sobre a prática do aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis primeiros meses de vida da criança, e a necessidade de que essas informações sejam repassadas à gestante em todas as consultas do pré-natal e durante o puerpério na Atenção Primária.

Palavras-chave

aleitamento; atenção primária; leite materno.

Abstract

To characterize the practice of breastfeeding in a Family Health Unit (FHU) in Belém Metropolitan Area and to identify the sociodemographic, epidemiological and obstetric profile of women attended by the FHU Tapanã II team, as well as factors related to the practice of exclusive breastfeeding in the first six months of the child’s life. Methods: This is a cross-sectional, quantitative, descriptive and analytical pilot study involving 31 primiparous or multiparous volunteer women on regular follow-up at FHU. Results: Participants had a mean age of 30.8 ± 11.2 years, 48.4% had primary school, more than half declared themselves single and have an income of less than 1 minimum wage. The majority reported having received information regarding exclusive breastfeeding (p = 0.0311), of which only four reported having received them during prenatal care (18.2%), although 93.6% reported having it done (p <0.0001); 58.1% (p = 0.3692) of newborns received exclusive breastfeeding until six months and 33.3% of mothers who practiced it said they had received no family incentive to breast-feed. Conclusion: It is suggested that the process of orientation to the exclusive breastfeeding among the women included in the study can be improved and intensified, either during pregnancy or puerperium, and may reflect a situation typical of the study area. Therefore, the importance of the continuous process of health education and guidance on the practice of exclusive breastfeeding in the first six months of the child’s life is reinforced, and the need for this information to be passed on to the pregnant woman in all prenatal consultations and during the puerperium in Primary Healthcare.

Keywords

breastfeeding; primary health care; breast milk.

Referências

1. Cunha ACB, Santos C, Gonçalves RM. Conceptions about motherhood, childbirth and breastfeeding in group of pregnancies. Arq Bras Psicol [Internet]. 2012 [citado em 2016 Nov 6];64(1):139-55. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/288544724_Conceptions_about_motherhood_childbirth_and_breastfeeding_in_group_of_pregnancies

2. Soares RDCS, Machado JP. Imunidade conferira pelo leite materno. In: Anais do SIMPAC; 2015; Viçosa. Viçosa: UNIVIÇOSA; 2015. Vol. 4, no. 1, p. 205-10.

3. Boccolini CS, de Carvalho ML, Oliveira MIC, Pérez-Escamilla R. A amamentação na primeira hora de vida e mortalidade neonatal. J Pediatr (Rio J). 2013;89(2):131-6. http://dx.doi.org/10.1016/j.jped.2013.03.005. PMid:23642422.

4. Santos VLFD, Soler ZASG, Azoubel R. Alimentação de crianças no primeiro semestre de vida: enfoque no aleitamento materno exclusivo. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2005;5(3):283-91.

5. Dias RB, Boery RNSO, Vilela ABA. Conhecimento de enfermeiras e estratégias de incentivo da participação familiar na amamentação. Ciênc Saúde Coletiva. 2016;21(8):2527-36. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015218.08942015.

6. Cabral PP, Barros CS, Vasconcelos MG, Javorski M, Pontes CM. Motivos do sucesso da amamentação exclusiva na perspectiva dos pais. Rev Eletr Enf. 2013;15(2):454-62. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v15i2.16996.

7. Lacerda CN, Santos SMJ. Aleitamento materno exclusivo: o conhecimento das mães. Revista Brasileira de Educação e Saúde. 2013;3(2):9-16.

8. Fonseca-Machado MO, Haas VJ, Stefanello J, Nakano AMS, Gomes-Sponholz F. Aleitamento materno: conhecimento e pratica. Rev Esc Enferm USP. 2012;46(4):809-15. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000400004. PMid:23018387.

9. Mello Castro LM, Barbieri F, Santos Moro AS, Freitas HMB, Colomé JS, Backes DS. Prática do aleitamento materno por puérperas: fatores de risco para o desmame precoce. Discip Sci, Ser. 2016;15(2):239-48.

10. Passanha A, Benicio MHD, Venancio SI, Reis MCGD. Implantação da rede amamenta Brasil e prevalência de aleitamento materno exclusivo. Rev Saúde Pública. 2013;47(6):1141-48. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102013000901141.

11. Marques RFSV, Lopez FA, Braga JA. O crescimento de crianças alimentadas com leite materno exclusivo nos primeiros 6 meses de vida. J Pediatr. 2004;80(2):99-105.

12. Ayres M, Ayres M Jr, Ayres DL, Santos AAS. BioEstat 5.4: aplicações estatísticas nas áreas das ciências biológicas e médicas. Belém: UFPA; 2014. Software.

13. Venâncio SI, Martins MCN, Sanches MTC, Almeida HD, Rios GS, Frias PGD. Análise de implantação da rede amamenta Brasil: desafios e perspectivas da promoção do aleitamento materno na atenção básica. Cad Saude Publica. 2013;29(11):2261-74. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00156712. PMid:24233041.

14. Alves ALN, Oliveira MIC, Moraes JR. Iniciativa unidade básica amiga da amamentação e sua relação com o aleitamento materno exclusivo. Rev Saude Publica. 2013;47(6):1130-40, discussion 1140. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102013000901130. PMid:24626551.

15. Sousa Oliveira J, Silva Joventino E, Melo Dodt RC, Gomes Lacerda FVJE, Barbosa Ximenes L. Fatores associados ao desmame precoce entre multíparas. Rev Rene. 2010;11(4):95-102.

16. Sousa N, Bernardes AC. Aleitamento materno: prevalência e caracterização da informação prestada. Rev Port Med Geral Fam. 2010;26(5):440-8. http://dx.doi.org/10.32385/rpmgf.v26i5.10778.

17. Caminha MFC, Batista M FO, Serva VB, Arruda IKG, Figueiroa JN, Lira PIC. Tendências temporais e fatores associados à duração do aleitamento materno em Pernambuco. Rev Saude Publica. 2010;44(2):240-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102010000200003. PMid:20339623.

18. Cruz SHD, Germano JDA, Tomasi E, Facchini L A, Piccini RX, Thumé E. Orientações sobre amamentação: a vantagem do Programa de Saúde da Família em municípios gaúchos com mais de 100.000 habitantes no âmbito do PROESF. Rev Bras Epidemiol. 2010;13(2):259-67.

19. Teixeira MA, Paiva MS, Couto PLS, Oliveira JF, Wolter RMCP. Sentimentos de mulheres soropositivas acerca da não amamentação. Rev Baiana Enferm. 2017;31(3):e21870. http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v31i3.21870.

20. Brasil. Ministério da Saúde. Amamentação e uso de medicamentos e outras substâncias [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2010 [citado em 2012 nov 3]. Disponível em: http://www.fiocruz.br/ redeblh/media/amdrog10.pdf

21. Carvalho MM. A suspensão da amamentação em mulheres soropositivas para HIV: uma revisão bibliográfica [trabalho de conclusão de curso]. São José do Rio Preto: Curso de Medicina, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto; 2017 [citado em 2019 mar 13]. Disponível em: http://disciplinas.famerp.br/tcc/Documents/defesas%202017/TCC%20monique%20medieors%20pronto.pdf

22. Muniz da Silva Fragoso V, Domingues da Silva E, Monsores Mota J. Lactantes em tratamento medicamentoso da rede pública de saúde. Rev Bras Promoç Saúde. 2014;27(2):283-90. http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2014.p283.

23. Camilo SM, Almeida ACCH, Santos RP. O uso de medicamentos durante a amamentação. Arq Ciênc Saúde. 2015;22(4):78-81. http://dx.doi.org/10.17696/2318-3691.22.4.2015.248.

24. Carrazza MZN, Zucoloto AD, Erra AL, Fruchtengarten LVG, Gardino FH, Godoy Miguel FF, et al. Exposição à cocaína via leite materno. Acta Pediatr Port. 2013;44(2):71-3.

25. Cardoso EC, Fernandes RAQ. Situações maternas impeditivas do aleitamento materno: uma revisão bibliográfica. Revista Saúde-UNG. 2014;7(1-2):50-6.

26. Silva SMDS, Segre CADM. Fatores que influenciam o desmame no recém-nascido prematuro. J Hum Growth Dev. 2010;20(2):291-301. http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.19967.

27. Osternack JA, Oliveira JP, Czlusniak GR, Orellana B. A relação entre o aleitamento materno e o surgimento dos hábitos de chupeta e mamadeira na perspectiva de gestantes. Rev Movimenta. 2009;2:35-42.

28. Ramos VW, Ramos JW. Aleitamento materno, desmame e fatores associados. CERES: nutrição & saúde. 2011;2(1):43-50.

5cfff8ea0e88253423480c81 prmjournal Articles
Links & Downloads

PRMJ

Share this page
Page Sections