02OUT

1º Oficina de Submissão de Artigos da Pará Research Medical Journal

Na oficina, os candidatos a submissão de artigos receberam informações de como evitar erros que tem sido comuns no momento da submissão desde falhas na redação do artigo, omissão de documentos obrigatórios, até a aprovação no comitê de ética, já que as pesquisas envolvem seres humanos”, esclareceu o Editor Chefe

http://www.santacasa.pa.gov.br/ensino/noticias/detalhe/?id=539

Pará Research Medical Journal
https://prmjournal.org/article/doi/10.4322/prmj.2018.001
Pará Research Medical Journal
Artigo de Pesquisa Saúde Coletiva

Avaliação da concepção dos estudantes de medicina sobre as práticas médicas integrativas e complementares na Atenção Básica

Evaluation of medical students’ conception on integrative and complementary medicine in Basic Attention

Giovanna Gomes e Silva, Ivete Moura Seabra de Souza

Downloads: 0
Views: 572

Resumo

Objetivo: Avaliar a concepção dos estudantes de medicina sobre as Práticas Integrativas e Complementares (PIC) da medicina na Atenção Básica. Método: A pesquisa é do tipo transversal, descritiva e quantitativa. A amostra foi constituída por 100 acadêmicos de Medicina, foram aplicados um questionário socioeconômico e um questionário sobre Práticas Integrativas e Complementares, para avaliar o conhecimento, a experiência e a opinião dos alunos sobre o uso das Práticas Integrativas e Complementares. Foi utilizada análise estatística descritiva, em termos de frequência e porcentagem. Resultados: Observou-se o predomínio do sexo feminino no grupo pesquisado. A média de idade foi de 22,93 anos. Predominou a religião “Católica” (52,17%) e a renda predominante foi de “Mais de 20 salários” para 40,21% dos participantes. Apesar de muitas escolas médicas não oferecerem na grade curricular a matéria sobre Práticas Integrativas e Complementares, a maioria dos alunos tem conhecimento do que se trata o tema e há progressivo interesse em aprender sobre as terapias complementares à medida que há aumento da demanda por essas práticas. Conclusão: Os resultados desta pesquisa evidenciaram que a maior parte dos alunos tem conhecimento sobre o tema abordado. E a maioria não tem preconceito com o uso de práticas, desde que este não cause malefícios ao paciente.

Palavras-chave

terapias complementares; Atenção Primária à Saúde; estudantes; medicina

Abstract

Purpose: To evaluate the conception of medical students on Integrative and Complementary Medicine in basic attention. Methods: The research is transversal, descriptive and quantitative. The sample consisted of 100 medical students, a socioeconomic questionnaire and a questionnaire on Integrative and Complementary Practices were applied to evaluate students’ knowledge, experience and opinion on the use of Integrative and Complementary Practices. Descriptive statistical analysis was used in terms of frequency and percentage. Results: It was observed the predominance of the female sex in the studied group. the average age is 22.93 years. Predominated the Catholic religion (52.17%) and the predominant income was “more than 20 minimum wages” for 40.21% of the participants. Although many medical schools do not offer in the curriculum the subject on Integrative Practices and Complementary Practices, most students are aware of what the subject is and there is a growing interest in learning about complementary therapies as there is an increased demand for these practices. Conclusion: The results of this research evidenced that most of the students have knowledge about the topic addressed. And most do not have prejudice with the use of practices, as long as this does not cause harm to the patient.

Keywords

complementary therapies; Primary Health Care; students; medicine.

Referências

1. Menezes VA, Anjos AGP, Pereira MRD, Leite AF, Garcia AFG. Terapêutica com plantas medicinais: percepção de profissionais da estratégia de saúde da família de um município do Agreste Pernambucano. Odonto. 2012;20(39):111-22. http://dx.doi.org/10.15603/2176-1000/odonto.v20n39p111-122.

2. Thiago SCS, Tesser CD. Percepção de médicos e enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família sobre terapias complementares. Rev Saude Publica. 2011 abr;45(2):249-57. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102011005000002. PMid:21271210.

3. Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS, atitude de ampliação de acesso [online]. Brasília: Ministério da Saúde; 2006 [acesso em 2017 nov 20]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pnpic.pdf

4. Nascimento Jr BJ, Tínel LO, Silva ES, Rodrigues LA, Freitas TON, Nunes XP, et al. Avaliação do conhecimento e percepção dos profissionais da estratégia de saúde da família sobre o uso de plantas medicinais e fitoterapia em Petrolina-PE, Brasil. Rev Bras Pl Med. 2016;18(1):57-66. http://dx.doi.org/10.1590/1983-084X/15_031.

5. Salles S. Homeopatia, universidade e SUS: resistências e aproximações. São Paulo: Hucitec/Fapesp; 2008.

6. Teixeira MZ. Homeopatia: desinformação e preconceito no ensino médico. Rev Bras Educ Med. 2007;31(1):15-20. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022007000100003.

7. Contatore OA, Barros NF, Durval MR, Barrio PC, Coutinho BD, Santos JA, et al. Uso, cuidado e política das práticas integrativas e complementares na Atenção Primária à Saúde. Cien Saude Colet. 2015;20(10):3263-73. http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152010.00312015. PMid:26465866.

8. Tesser CD, Barros NF. Medicalização social e Medicina alternativa e complementar: pluralização terapêutica do sistema único de saúde. Rev Saude Publica. 2008 out;42(5):914-20. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102008000500018. PMid:18833389.

9. Zanini LM, Grigório JM, Signorelli MC. Geoterapia: percepções e utilização em uma comunidade acadêmica. Cad Naturol Terap Complem. 2014;3(4):23-31. http://dx.doi.org/10.19177/cntc.v3e4201423-31.

10. Gonçalves RP, Antunes HM, Teixeira JBP, Cardoso LO, Barbosa PR. Profissionais da área de saúde pública: atitudes, conhecimentos e experiências em relação à práticas médicas não-convencionais. Rev APS. 2008;11(4):398-405.

5cfa7a190e88254a1b58d25d prmjournal Articles
Links & Downloads

PRMJ

Share this page
Page Sections